quinta-feira, Agosto 28, 2008

Sorteio Liga dos Campeões 2008/09


Realizou-se esta tarde, no Mónaco, o Sorteio da fase de grupos da Liga dos Campeões relativo à época de 2008/09. O FC Porto ficou no Grupo G, e encontrará Arsenal (Inglaterra), Fenerbahçe (Turquia) e D. Kiev (Ucrânia). Embora não se possa considerar um grupo fácil, o certo é que o FC PORTO tem que entrar em qualquer competição com a consciência que é para vencer, e nós esperamos as vitórias. Comecem desde já a pensar nas transfertas possíveis.


Brevemente mais informações quanto às datas dos jogos.

quinta-feira, Julho 31, 2008

Torneio Cidade de Braga


O FC Porto inicia amanhã frente ao Leixões, às 21h 15, a sua participação no Torneio Internacional Cidade de Braga. O jogo seguinte dos portistas será no domingo dia 3 de agosto frente à equipa italiana do Cagliari. O preço dos bilhetes é convidativo sendo de 5€ para os associados dos clubes participantes e de 10€ para o público em geral.

"Este Torneio pretende, acima de tudo, ser uma festa do futebol, abrilhantada com participantes de luxo que, pela sua história no futebol nacional e internacional, são garante de grande qualidade desportiva", afirmou António Salvador, que deixou um apelo aos adeptos de todos os clubes participantes: "Bons espectáculos merecem ser presenciados por muito público. Pretendemos que os adeptos do futebol em geral e dos clubes participantes em particular, nos brindem com a sua presença e, por preços simbólicos, se associem a esta festa".

As SuperQueens estarão presentes, como é habitual, no apoio às hostes portistas.

terça-feira, Julho 22, 2008

Apresentação 2008/2009: FC Porto - Celtic Glasgow


Depois das merecidas férias futebolísticas, eis que chega finalmente a altura de voltar á vida de Ultra que nos caracteriza.
É já este sábado às 21h que o FC Porto faz o seu jogo de apresentação aos seus associados e adeptos frente ao Celtic Glasgow. Vamos reencontrar a equipa contra a qual vencemos, na inesquecível final, a Taça UEFA da época 2002/2003.
O bilhete SD é 7€, e para reservarem o mesmo devem ultilizar os meios habituais.
"Faixa Não Há Mas Nós Estamos Cá!"

segunda-feira, Maio 26, 2008

26 de Maio de 2004 - A Final de Gelsenkirchen

Um ano depois da conquista da Taça UEFA, o FCPorto tinha a hipótese e, mais que isso, a esperança de ter a Europa novamente rendida a seus pés com a conquista da Liga dos Campeões.
Para que esse dia chegasse foi preciso suar muito e lutar arduamente, de jogo para jogo.
Foi ainda no saudoso Estádio das Antas que começou a luta pela conquista da Champions League 2003/2004.
Na fase de grupos não podiam ter calhado melhores equipas para que o nosso sonnho se concretiza-se, sendo, no entanto, todas de alto nível. Encontramos pela frente o Real Madrid, que desde logo foi considerado o favorito, o Marselha e o Partizan. Nesta fase o FCPorto conseguiu o segundo lugar, ficando o primeiro para o Real Madrid. De destacar as boas deslocações quer a Madrid, quer a Marselha por parte dos ultras portistas.
As fases seguintes da competição já não se disputaram no Estádio das Antas, uma vez que, o Estádio do Dragão, houvera sido recentemente inaugurado.
No sorteio dos oitavos de final não podia ter saído pior equipa, equipa da qual o FCP não guardava boas recordações: O Manchester United. O Manchester era favorito e, como tal, haviam muitos que já eliminavam a nossa equipa, ainda mesmo antes de se jogarem os 180 minutos.
Em casa, na primeira eliminatória, num jogo emocionante, o FCPorto conseguiu a vitória por 2-1, resultado nada animador para quem ainda se tinha que deslocar a Old Trafford.



Neste jogo caseiro, os SuperDragões juntamente com o Colectivo 95, organizaram uma coreografia que rendeu todos os presentes no estádio. A coreografia consistia num lençol gigante com dois guardas reais ingleses, um com a bandeira dos Super Dragões e o outro com a do Colectivo 95, e um Dragão a meio, sentado no trono. Por baixo estava a frase “God Save the King”. A acompanhar o lençol, cartolinas azul e brancas em toda a bancada Sul.
Em Old Trafford é que foi!!! Num jogo impróprio para cardíacos, no qual o Porto contou com uma boa massa adepta e onde as Queens marcaram presença. A poucos minutos finais do apito final, com o FCP a perder por uma bola, resultado que nos eliminava da Champions, Costinha silenciou os Ingleses, que já a largos minutos faziam a festa, trazendo a vitória para a cidade Invicta.
Para os quartos de final teríamos que defrontar, mais uma vez, uma equipa francesa. Desta vez teríamos pela frente os franceses de Lyon. Na primeira eliminatória, disputada no Dragão, o FCPorto venceu por 2-0, indo a França empatar por 2-2. Mais uma vez, os dois grupos Ultra do FCP não deixaram passar esta oportunidade para mostrar a sua mentalidade, apresentando, antes do início do jogo no Dragão, um tifo por todo o estádio. O tifo consistia em cartolinas azuis e brancas espalhadas por todo o estádio e na superior sul, acompanhando as cartolinas, estava, ao centro da bancada, um Sol e no seu interior o brasão do FCPorto. A acompanhar o colorido das cartolinas a frase: “Na liga das estrelas, nós somos o maior astro”.



Eliminados os franceses vinha mais uma etapa crucial. Tal como os oitavos a meia-final, ia ser o tudo ou nada rumo à final.
Para que a final fosse possível teríamos que eliminar, desta vez, o Deportivo da Corunha, equipa que tinha acabado de eliminar o AC Milan, numa reviravolta impressionante. Porto e Corunha, cidades geograficamente próximas, ambas do norte da Península Ibérica. Esperava-se, por isso mesmo, uma grande meia-final e uma grande presença no estádio Riazor.
A primeira eliminatória foi disputada no Estádio do Dragão, jogo esse em que o resultado não foi o melhor, visto o empate a zero não ser nada bom.
Os Ultras Portistas não poderiam deixar escapar a oportunidade de indicar o caminho que todos queríamos seguir, que era chegar à final. Para nos expressarmos foram usadas 48.000 cartolinas em todo o estádio. Na bancada poente e nascente as cores dominantes eram as da bandeira nacional; já na norte e sul eram usadas as cores do clube. A acompanhar as cartolinas e ao centro da bancada sul estava a taça que todos ansiávamos ver Jorge Costa levantar. Ao cimo da bancada uma tarja com a palavra Gelsenkirchen pintada num fundo com a bandeira alemã, e, mais a baixo, outra tarja com a data da final. A acompanhar todo esta vivacidade, vinha a frase que dava sentido a tudo “Difícil de pronunciar mas fácil de sonhar”.



Mas nem o empate desmoronou a fé dos adeptos e a vontade de apoiar a equipa que tantas alegrias nos dava continuou. Assim sendo, preparou-se uma deslocação memorável à Corunha. Pode mesmo considerar-se que foi a melhor deslocação de sempre das SuperQueens na Liga dos Campeões, ultrapassando as 2 dezenas de elementos.
Durante o dia, o convívio com os espanhóis foi saudável e alegre, mas com o passar das horas e o aproximar da hora do jogo, a ansiedade tornava-se incontrolável.
O jogo em si, foi de nervosismo total, onde só o golo, marcado através de grande penalidade pelo Ninja Derlei, nos acalmou e tornou finalistas.
No final do jogo o ambiente foi fenomenal, primeiro, ainda no estádio juntamente com os jogadores e depois em todo o percurso rumo a Portugal e ao Porto, com os ultras e a equipa a serem ovacionados por todo o caminho desde a fronteira até ao estádio, onde milhares de pessoas esperavam pela equipa madrugada dentro. A Península Ibérica rendia-se a nossos pés, já só faltava a restante Europa.
A grande final estava marcada para dia 26 de Maio de 2004. Com o aproximar do grande dia era preciso preparar tudo, desde um grande tifo que marcasse aquele momento, como também a organização dos aviões e a entrega de bilhetes. Os SD fretaram unicamente para os seus sócios 3 aviões, num total de 900 elementos. Foram ainda disponibilizados 2 autocarros, viajando os restantes membros pelos próprios meios.
Como habitualmente acontece em grandes finais, e como já tinha acontecido na final de Sevilha, Super Dragões e Colectivo uniram-se em prol do clube. Nada de novo, visto que em toda esta caminhada rumo à final, todas as coreografias foram feitas em conjunto.
O habitual aconteceu. No armazém houve um saudável convívio entre membros dos dois grupos, noites perdidas a desenhar e pintar o lençol, a pensar e repensar em como o lençol ficava melhor, etc.



O lençol imitava um fotograma com as imagens das grandes alegrias de 1987. De um lado o nome do estádio, Prater Stadium, ao centro o golo de calcanhar de Madjer, e do outro lado a taça. No topo do sector uma frase baseada em declarações proferidas por José Mourinho no seu livro quando se referia a Sevilha “Inesquecível…mas que ninguém nos diga irrepetível!”. A frase utilizada estava minimamente modificada “Um filme inesquecível, mas não irrepetível!”.
Ainda a acompanhar o lençol foram distribuídos por todos os portistas réplicas da taça em cartolina prateada que era o troféu mais desejado nessa mágica noite.
No que diz respeito ao jogo em si, o FCPorto encontrou na final, e como não há duas sem três, uma equipa francesa que também acabaria por ser derrotada. Essa equipa era o Mónaco.
Desde cedo o FCP demonstrou que queria, mais que tudo, vencer e trazer para casa o título de Campeão Europeu.
Ao minuto 39, o Porto adianta-se no marcador, com golo assinalado pelo brasileiro Carlos Alberto, acontecendo, assim, o primeiro momento de pura alegria da noite. Entretanto, FCPorto recolhia aos balneários para descanso, em vantagem e nós, puros adeptos, tentávamos acalmar o coração.
Com o recomeço do 2º tempo, o Porto continuou a dominar e o bom futebol continuou. Aos 70 minutos de jogo e numa altura em que o Mónaco arriscava, mesmo correndo riscos, procurando o empate, num louco contra ataque, Deco correu em direcção à baliza, cruzou para Alenitchev e este devolveu-lhe a bola, fazendo assim o segundo golo do jogo, o nosso mágico Deco. Este golo surgiu num momento oportuno, dando-nos algum do descanso necessário para acalmar e controlar o jogo e para começarmos a acreditar que a vitória ia ser nossa.
Cinco minutos depois, o vencedor ficou definitivamente conhecido, com o golo dos 3-0 apontado por Alenitchev.
A festa foi, mais uma vez, nossa! Na Alemanha os momentos foram inesquecíveis, muitos choraram de alegria, muitos riram, cada um deu asas à sua imaginação da maneira que lhe apeteceu. Juntamente com os jogadores viveram momentos que ficarão na memória de todos.



Na Invicta festejava-se de forma efusiva e preparava-se uma grande recepção aos jogadores que fizeram de nós Campeões da Europa. Por todo o lado se pode ouvir “Somos Nós, Somos Nós, Os Campeões da Europa Somos Nós”
É bom recordar todos estes momentos e esperamos tornar a repetir todos estes momentos!





quarta-feira, Maio 21, 2008

21 de Maio de 2003 - A final de Sevilha





Foi há cinco anos! Há cinco anos que verificámos que era possível chegar ao topo, há cinco anos que os nossos sonhos se tornaram realidade, há cinco anos que ganhámos a Taça UEFA!
Para muitos de nós, este foi o troféu mais importante das nossas vidas de ultra, pelo menos o mais conceituado a nível internacional. Habituados a conquistas puramente nacionais, o facto de ganharmos a Taça UEFA premiou todo um percurso constante de apoio ao FCP, em que nós, simples adeptos, atingimos um estado de glória puramente fantástico!
Foi a obtenção da Taça UEFA que coroou de êxito toda uma vida de apoio, dedicação, crença e amor!!!
A campanha europeia do FCP na época em questão, 2002/2003, começou já a prova ia nos oitavos de final, com a nossa equipa a eliminar decididamente o Denizlispor por um marcador avantajado de 8-3.
Nos quartos de final encontrámos pela frente o Panathinaikos da Grécia, equipa que veio às Antas ganhar por uma bola a zero, o que fez pensar, principalmente aos menos crentes e àqueles que estão sempre à espera de uma derrapagem nossa, que dificilmente conseguiríamos dar a volta ao resultado, na 2ª mão, que se realizaria na cidade dos gregos. No entanto, para nosso contentamento, a nossa equipa foi à Grécia conseguir uma precioso triunfo por 2-0 o que nos permitiu passar às meias-finais da prova e, a partir deste momento, o sonho começou a tornar-se verosímil.
A partir daqui tudo podia acontecer. O sorteio ditou que teríamos de defrontar a Lázio de Roma para chegar à tão sonhada final.



Com um misto de sensações após termos tido conhecimento da nossa sorte, lá nos preparámos para receber os italianos. Depois de um jogo espectacular em Portugal, partimos para Itália com um 4-1 na bagagem, evidentemente a nosso favor. Parecia bom demais para ser verdade, mas mesmo com uma vantagem tão numerosa, não podíamos facilitar. E assim foi. Sem fazer um jogo brilhante, o Porto conseguiu a passagem à final da Taça UEFA, após manter a vantagem que tinha sobre a Lázio, empatando 0-0 com esta equipa no jogo da 2ª mão das meias-finais da prova.
E assim chegámos à tão desejada final! A invasão a Sevilha estava garantida!
Os dias que antecederam a Final Cup foram de verdadeira euforia para os nossos lados: preparar e organizar a viagem para tanta gente até ao sul de Espanha não era tão simples quanto isso e foram muitas as noites passada na saudosa sede dos Dragões a acertar todos os pormenores para que tudo corresse bem. A distribuição dos bilhetes não foi de todo tarefa fácil mas, chegado o dia, ou melhor, a noite da partida, tudo estava pronto e bem encaminhado.



Não só de bilhetes se fizeram os preparativos para o grande jogo da nossa vida até a data. Preparar um lençol que ficasse na memória de todos nós e que marcasse da melhor maneira a data em questão era o objectivo. Com muitas noites de trabalho, muitos de nós saíam do armazém directos para o trabalho, assim foi a semana que antecedeu a grande final. Pela primeira vez em Portugal, dois grupos Ultra do mesmo clube se juntaram para a organização de uma coreografia, com o único intuito de apoiar e orgulhar a cidade e o clube da Invicta. Uma semana única para quem participou de todos os preparativos, semana de convivo, alegria e um misto de ansiedade partilhada por todos e o mais importante de todos a união de grupo existente. Uns de carrinha, outros de carro, alguns de avião e a maior parte de camioneta, lá se partiu para a vizinha Espanha com o coração a rejubilar de felicidade.



Chegados a Sevilha, houve oportunidade para conhecer vagamente, muito vagamente, a cidade e confraternizar com os nossos adversários escoceses, pessoas simpáticas, bem dispostas e sempre prontas para a borga! E uns adeptos muito crentes e entusiastas! É curioso o modo como eles vivem o futebol, com tanta intensidade. Ah! E para ajudar à festa, estava um tempo espectacularmente bom!!!
Depois desta interacção cultural e desportiva, foi hora de rumar ao Estádio Olímpico de Sevilha e começar a contagem decrescente para o início do jogo. Com os nervos à flor da pele, parecia que as horas não passavam…
Com a entrada das equipas em campo, iniciou-se o apoio, que, por todos os motivos e mais alguns, foi bastante bom e a coreografia não podia ter tido efeito melhor.



Relativamente ao jogo em si, não há dúvidas de que este foi muito bem disputado: bom futebol, grandes lances e com tudo isto, claro, muitas emoções! Tornou-se impossível controlar os nervos, ainda para mais sempre com o resultado a alterar. Ora estávamos em vantagem, ora não. Começámos por marcar nós, ainda no primeiro tempo, através de Derlei. No entanto, logo a seguir ao intervalo, os escoceses empataram a partida. Nada perdido, e ainda com muito tempo para jogar, voltámos a colocar-nos em vantagem, desta feita com uma golo do russo Alenitchev. Faltava pouco para acabar o encontro, quando o Celtic voltou a marcar. Este empate obrigava a um prolongamento que seria decidido através do golo de prata, ou seja, jogar-se-iam os trinta minutos de prolongamento e só no final se encontraria o vencedor. Estes trinta minutos foram de verdadeiro sufoco. As oportunidades dividiam-se para ambas as equipas e os nossos corações viviam momentos de pura aflição, obviamente. No entanto, a sorte (se é que se pode chamar de sorte) sorriu-nos e nos últimos minutos o nosso Ninja marcou o tão ansiado golo que nos proporcionou a vitória no jogo e a conquista da Taça UEFA. Os últimos cinco minutos, até o jogo acabar, foram verdadeiramente emocionantes e carregados de uma densidade psicológica nunca vista, nem sentida. Entre choros, lágrimas, sorrisos e abraços, o árbitro apitou para o final e todos pudemos respirar de alívio.



Foi o delírio!
O Estádio Olímpico de Sevilha parou para nos ver festejar. E que festejos! Não há palavras que descrevam o que se passou naquele momento. Cada um, à sua maneira, tratou de dar asas à euforia e alegria que iam dentro de si e sentir a magia daquele momento, que foi realmente inesquecível. Quem lá esteve sabe que assim foi e que, por muito que o tempo passe, estes momentos que não vão ser esquecidos.
De seguida foi hora de entregar o troféu, que o FCP conquistou pela primeira vez no seu historial. Foi também um momento muito marcante, pois deu-se o entrosamento entre a equipa, os técnicos e os adeptos, todos cúmplices nesta conquista e todos cientes da sua participação no sucedido. Cantou-se e sentiu-se a música “We are the champions”, porque todos nós sentíamos uns verdadeiros vencedores.
Os festejos custaram a acabar e custou também ter de abandonar aquele local onde houvéramos tido um momento tão feliz! Mas eram horas de regressar a casa, de voltar ao nosso país, à nossa cidade. E assim fizemos.
Em Portugal os festejos também foram vividos com muita intensidade e a equipa foi recebida em verdadeiro delírio pelos adeptos. E menos não se esperava. Estávamos no topo do mundo!
Num ano absolutamente espectacular, em que conseguimos conquistar o campeonato nacional, a Taça de Portugal e a já referida Taça UEFA, o empenho e a honra à camisola que a nossa equipa demonstrava deixava-nos completamente efusivos, encantados e fazia-nos acreditar que tudo era possível, que o topo não era inatingível, que não era uma miragem. E não foi!!! Nós chegamos lá!!!

domingo, Maio 04, 2008

QUEENS ON TOUR: vitória 0 - 5 TRI CAMPEÕES

Embora já sejamos TRI CAMPEÕES as vitórias são sempre desejadas e a deslocação ao Vitória de Guimarães é sempre das mais aguardadas pelos Ultras SD.
A provar isso, as 4 camionetas. A viagem foi calma, contudo sempre em ambiente de festa e no bus das QUEENS, sempre igual a si mesmo, muita musica e animação.
A entrada no estádio decorreu dentro da normalidade, tendo sido feita muito cedo. Por volta das 17hrs já lá estavamos a aguardar pelo começo do jogo.
O apoio começou com a entrada dos nossos jogadores para o aquecimento e ao longo dos 90m de jogo.
Uma primeira parte de grande nível no apoio aos azuis e brancos, cântico após cantico com a mesma garra de quem são os CAMPEÕES e que não estavamos ali para facilitar.
Na segunda parte quando surgiram os 5 golos, o apoio manteve-se igual e TRIturador como esta equipa mágica. De salientar o cântico dedicado aos rivais, afinal aconteca o que acontecer, vitória é merda até morrer.
Quanto ao jogo, o resultado fala por si. 0 - 5 Avassalador. Queriam uma mãozinha? Nós demos.
Uma primeira parte equilibrada e uma segunda parte sem margem para dúvidas sobre a diferença entre o Campeão e o 2º classificado. E já são 23 pontos.
Os golos foram assinados por Bruno Alves, Quaresma (2), Farias e Adriano.
A viagem de regresso à Invicta foi novamente calma, com o saber de dever cumprido.

domingo, Abril 06, 2008

TRI CAMPEÃO 6 - 0 E.Amadora

Numa semana em que se falou mais de apito dourado do que na possibilidade do PORTO se sagrar TRI CAMPEÃO, os portistas em geral e a curva em particular resolveram responder ao repto lançado pelo clube e encher o estádio para celebrar mais uma conquista.
Como é já habitual, as SUPERQUEENS marcaram presença numa noite de festa, em que o apoio esteve ao rubro. A noite era de festa que começou ainda o sol estava bem alto. Numa tarde de sol e a 90m de nos sagrarmos vencedores para azia de muitos, as QUEENS aproveitaram para se juntarem aos outros ultras que se encontravam nos arredores do estádio para festejar e conviver.
Do jogo não há muito a dizer. Os 6-0 falam por si e com 2-0 à passagem dos 20min dá para ver o dominio da nossa equipa. Num estádio vestido de azul não era de esperar outra coisa, mas os jogadores ainda queriam mais e não quizeram ficar só com a vitória e sim com um resultado que também fica para a história. 6-0 Sem Espinhas, tal como este campeonato.

Durante 90m a bancada esteve em festa, acompanhando cada jogada e cada golo com a euforia de mais uma batalha vencida.
Os Super Dragões, com um sector a abarrotar, engalanaram-se para a festa dos TRI CAMPEÕES com fumos azuis e com um apoio forte e constante. Como ninguém cala este nosso amor, os cânticos foram variando desde os já miticos, até a consagração dos jogadores, um por um, chegando a tão esperada estreia no Dragão da música dos CAMPEÕES, lançada em Belém.

No final da partida, ja com a certeza que somos os CAMPEÕES DE PORTUGAL chegou a festa. Os jogadores do mágico PORTO mais uma vez demonstraram saber quem os apoio durante uma época inteira incansavelmente, e não so nas festas, com chuva ou com sol, muitas vezes em condições animalescas. Os primeiros adeptos a quem se dirigiram para festejar fomos nós. Foi bonito ver os agradecimentos de alguns jogadores, em especial, à curva. É o reconhecimento. Nós agradecemos mais esta alegria, mais este campeonato.
Para a semana ha mais e nós vamos lá estar lado a lado com estes vencedores. A vitória é nossa mas o campeonato ainda não acabou e a nossa sede de vitorias nunca seca.

PARABÉNS TRI CAMPEÃS!!!

sábado, Abril 05, 2008

A 90 min do TRI

segunda-feira, Março 31, 2008

As QUEENS por cá....

Revista J (Jornal "O Jogo"), 30 de Março de 2008

QUEENS ON TOUR: Belenenses 1 - 2 FC PORTO


Durante toda a semana se ouviu falar na possibilidade de nos sagrarmos campeões no jogo frente ao Belenenses. Para nós isso significava só mais uma motivação extra para a clássica deslocação a Belém.
Durante a viagem já sabíamos que não era no regresso que festejaríamos o Tri
mas a festa não deixou de existir. Afinal estamos no caminho certo!
A viagem foi longa e por volta das 18h 30 chegamos ao estádio, tendo a entrada sido feita rapidamente sem demoras.
O jogo começou e o FC PORTO pode contar com o apoio dos seus ULTRAS na máxima força. Este ano, numa localização diferente do normal, mas nem assim com menos vontade de fazer ouvir a nossa voz.
Na primeira parte os azuis e brancos da Invicta não conseguiram ter o controlo pleno do jogo, tendo o belenenses equilibrado sempre em oportunidades, chegando mesmo primeiro ao golo já perto do intervalo. De certo modo, merecíamos a desvantagem.
Logo no inicio da segunda parte, e com uma nova postura em campo, mais aguerrida e com vontade de vencer, Lisandro fez o gosto ao pé, fazendo o 1-1.
A atitude dos Dragões manteve-se, procurando sempre chegar ao golo da vitória, demonstrando que querem mesmo ser campeões o mais rapidamente possível, tal como os adeptos.
Foi já em cima dos 90m que Quaresma é derrubado na área. Lucho Gonzalez não desperdiçou e o FC Porto conquista assim mais 3 preciosos pontos rumo ao TRI.
Da bancada apoio nunca faltou, 90m de bom apoio, embora muitos de nós tenhamos na memória melhor qualidade de apoio noutras épocas, sendo Belém sempre marcado pelo lançamento de novos cânticos.
Este ano não foi diferente, e os Super Dragões não perderam oportunidade de lançar um cântico relativo à conquista do campeonato. Não pegou de modo a rebentar logo no Domingo, mas Sábado espera-se que seja mesmo o cântico dos festejos de mais uma conquista.
Quero ver o Porto Campeão
Esta alegria no coração
Quero ver o Porto Campeão
Esta alegria no coração
Viver momentos mágicos de vitória
Marcaram sempre a nossa história
Com esta vontade vou cantar
Por todo o mundo eu vou lutar
As SuperQueens viajaram em festa até Marrocos e continuam jogo após jogo com a vontade de apoiar e de poder festejar mais uma vitória dos Dragões.
A viagem de regresso fez-se de forma calma, aproveitando para acertar e memorizar o novo cântico, pois estas viagens não servem só para ver o mágico e conviver.

P.S. Podem tirar-nos os 6 pontos mas o TRI ninguém nos tira!

quinta-feira, Março 27, 2008

...e as QUEENS por lá!!


No dia 26 de Março de 2008 vimo-nos gregas para tentar perceber o que dizia um post no blog http://football-blabla.blogspot.com, tal qual os jogadores da selecção portuguesa se viram nessa noite... Que era sobre nós, não havia dúvida, até porque as fotos assim o ilustravam. Com ajuda preciosa das ferramentas que a internet nos proporciona lá se traduziu o texto de grego para inglês e depois para a língua de Camões. Resumindo, diz que os Super Dragões são a alma e intitulam-se o 12º jogador do porto desde 1986. de seguida, dizem que entre os SD as mulheres do grupo, que são activas e organizadas no mesmo, com pessoal e presenca onde quer que o FCPorto jogue. E rematam com a frase...Friends, brothers, partisans... to you we present SUPER QUEENS!

Ver o post em http://football-blabla.blogspot.com/2008/03/porto-super-queens.html, 26/03/08.

As QUEENS por cá....


No dia 19 de Outubro de 2007, no blog tripeiro "Bibó Porto, carago", foi publicado um post pela Sodani onde mais uma vez se retrata o tema "As mulheres e futebol".
Em primeiro lugar ficam os parabéns à Claúdia por este post, pois é sempre de bom agrado que vemos o tema mulheres e futebol tratado de uma forma séria e sem os rotulismos a que às vezes está associado. Somos mulheres, somos adeptas, somos portistas e é com muito orgulho e devoção que estamos presentes em todos os momentos do nosso FCPorto. Não temos pretensões para além do apoio ao clube, sendo este o nosso grande e único objectivo. Foi com muito orgulho que pudemos contribuir para este post, nem que seja apenas na cedência das fotos. Parabéns mais uma vez e continuem o vosso bom trabalho.

segunda-feira, Março 17, 2008

QUEENS ON TOUR: Leixões 1 - 2 FCPORTO


Mais um jogo rumo ao TRI!
O Porto foi até Matosinhos jogar com a equipa da casa, jogo que já não se realizava naquele estádio desde o ano de 1992.
Visto ser um jogo tão pertinho do Dragão esperava-se que a presença de portistas no Estádio do Mar fosse maior, mas os preços dos bilhetes mais uma vez a não ajudarem. Neste caso não nos temos de queixar da equipa adversária, mas sim do nosso clube, que resolveu comprar a lotação visitante na íntrega e vendê-la a 15€ aos sócios portistas. É pena que os dirigentes desportivos nada tenham aprendido com o exemplo do Boavista, em que bilhetes a 5€ levaram muita gente ao estádio e garantiram certamente um encaixe financeiro de bilheteira maior!!
Quanto ao jogo, a primeira parte quase que dava para dormir, com um leixões como ele próprio mas com um FCP desfigurado, até parecia que se queria dar o jeitinho ao Leixões.
O intervalo chegou com um nulo, nada que surpreende-se quem estava a assistir ao jogo.
A segunda parte foi bem melhor, com o golo do Leixões, as bancadas acordaram e os jogadores também mostraram que afinal não estavam lá para dar jeitinhos mas sim para lutar pela vitória e pelo aproximar da conquista do campeonato.
Lisandro como só ele é capaz, nunca desiste e conseguiu o empate, igualando assim a partida e reabrindo o jogo. Tarik mais tarde, outro lutador, após um chapéu, chegou ao golo que nos deu a vitória e o aproximar do TRI.
Os festejos dos golos foram com os seus Ultras e no primeiro golo a rede cedeu, mais uma vez a intervenção exagerada e desnecessária do corpo de intervenção. Só queríamos festejar.
Numa noite chuvosa e fria o apoio na primeira parte foi muito arrefecido mudando com os golos que vieram acordar todo o estádio. Assim, na segunda parte o apoio foi mais forte e constante embora se continue a espera de melhor de um grupo que já mostrou ser capaz de muito melhor.
As SuperQueens mantiveram-se em frente de batalha rumo ao tri, em bom número.



Próxima batalha: Belém, os bilhetes são 10€ com viagem incluída,e podemos sagrar-nos campeões em Marrocos. Apoio precisa-se. Contacta-nos o mais rápido possível.

sábado, Março 08, 2008

Feliz Dia Internacional da Mulher para todas!!!



Muitos não sabem o porquê do Dia Internacional da Mulher ser a 8 de Março, mas não foi ao acaso que esse dia ficou marcado na história das mulheres.
Em 1857, em Nova Iorque, operárias têxteis lutavam pelos seus direitos, reivindicando uma redução de 16 para 10 horas diárias de trabalho. É que, para além de trabalharem mais horas, recebiam menos de um terço do salário de um homem. Porém a luta era desigual, uma vez que não podiam bater-se contra o poder do homem. Assim sendo, foram fechadas na fábrica onde, inexplicavelmente, se deu um incêndio, morrendo cerca de 130 mulheres.
Em 1910, foi decidido, numa conferência internacional de mulheres, realizada na Dinamarca, que em honra daquelas mulheres, se comemoraria no dia 8 de Março, o Dia Internacional da Mulher.
O que se pretende com esta celebração é chamar à atenção para a dignidade e valor da Mulher, perceber-se o seu papel na sociedade, contestar e rever preconceitos e limitações que lhes vêm sendo impostos.

Em todos os campos se verifica essa mesma limitação e preconceito relativo às mulheres, mas, também em todos eles nos deparamos, nos últimos anos, com a vontade de superar esses mesmos preconceitos, lutando contra isso, tentando sempre superar todas as barreiras.
No que respeita ao futebol, isso é mais que evidente. Não é preciso retroceder muitos anos para nos lembrarmos de como era vivido o futebol, como eram as mentalidades, não só dos homens mas também de muitas mulheres. Estas eram, nada mais, nada menos que acompanhantes dos seus maridos aos estádios. Só que, enquanto eles iam ver o futebol, elas ficavam no carro, a fazer croché, renda e a tomar conta dos filhos. As que não respeitassem essa tradicional companhia ao marido, a consequente espera nos carros e, ao invés, tomasse a iniciativa de ir ver o jogo, era logo apontada e alvo de boatos.
Com o passar dos tempos, e para bem de todos e todas, essa ideia machista do futebol, tem vindo a mudar e cada vez mais se vêem mulheres com voz activa no futebol, no seio do seu grupo. Existem mesmo clubes de futebol com equipa feminina e com mulheres como membros de direcção.
Nos grupos Ultra isso também se fez notar, deixando de ser só as mulheres dos membros do grupo a ir ao futebol, generalizando-se. Hoje em dia, já se vêem grupos de mulheres a irem juntas para os estádios, sem a companhia de um membro masculino.
As SuperQueens também lutam constantemente para não serem vistas como mulheres que nada fazem e que o seu lugar é em casa. Ao contrário do que muitos possam pensar, essas bocas machistas de que por vezes somos alvo, ainda nos dão mais força para continuar, e fazer com que o núcleo, tenha cada vez mais uma voz activa em prol do grupo, os Super Dragões.
Tal como o mundo evolui, sendo este o ciclo natural de tudo, também as mentalidades o devem fazer. Esperamos nunca sentir na pele a discriminação de que tantas vezes ouvimos falar, principalmente, porque lutamos no dia a dia contra isso. É certo que é difícil mudar algumas mentes mais retrógradas e não nos livramos de, de quando a quando, ouvir ditos do tipo “vocês deviam estar em casa” ou “o que é que estas miúdas/mulheres estão aqui a fazer?”, mas nada que nos faça vacilar.
Acima de tudo, as Queens vão sempre apoiar o clube que amam, tentando transmitir o espírito ultra no seio feminino e também masculino. Podem dizer que as mulheres são fracas ou deviam ficar em casa mas nada disso nada nos vai impedir de continuar a acompanhar a paixão da nossa vida!

Feliz Dia Internacional da Mulher para todas!!!

sábado, Março 01, 2008

Janta SuperQueens - Dia Internacional da Mulher


Há muito que andava a ser estudada a data para a realização do 10º jantar das SuperQueens, e que melhor data que o Dia Internacional da Mulher??
Pois é meninas, dia 8 de Março pelas 21hrs, num restaurante do Porto, iremos juntar-nos para conviver, festejar e estreitar laços que o Porto uniu, e que a amizade mantém. O preço do jantar é de 12.50€. Para mais informaçoes e reservas contacta o número habitual ou através do mail superqueens86@gmail.com.
Apressa-te, contamos com a tua companhia e alegria para mais um grande sucesso das ultras portistas.

quarta-feira, Fevereiro 13, 2008

Taça de Portugal: Sertanense 0 - 4 FC PORTO

Domingo à tarde, sol e Taça de Portugal.

O FC PORTO foi a Sertã vencer mais uma eliminatória desta competição tipicamente portuguesa, em que o objectivo é chegar ao Jamor. Mais que o jogo em si, o que levou muitos de nós a querer deslocar-se até ao centro do país foi o facto de se poder reviver o futebol à antiga, às 15h 30, a hora a que se devia jogar sempre o futebol. Na Sertã o ambiente encontrado era de festa, tendo a vila toda parado para receber os campeões. Música ao vivo, muita cerveja, muito convívio, concluindo muita festa.

Dentro do estádio, já que estávamos lá tínhamos que apoiar tendo sido a primeira parte de apoio constante com os jogadores a corresponderem com 3 golos. Tarik, Farias e Kaz, os goleiros de serviço.

Ao intervalo nova movimentação, visto não haver bar dentro do estádio, tivemos a possibilidade de vir passear até fora do mesmo.

A segunda parte começou com Farias a marcar novamente concluindo assim o resultado do jogo. 4-0 e acabou a caminhada do sertanense na Taça de Portugal.

As Queens que viajaram de carro, marcaram mais uma vez presença, em que o desejo é acabarem esta caminhada no Jamor.

Os SuperDragões apoiaram a equipa durante toda a primeira parte, tendo esmorecido no segundo tempo, também pelo facto da equipa atacar em sentido oposto à nossa localização, incentivando em momentos, com o final a ser culminado com o reacendimento dos Ultras Portistas. Os jogadores retribuíram o apoio não só com a vitória mas tendo no final dirigido aos seus ultras oferecendo camisolas.

A próxima eliminatória realiza-se a 27 de Fevereiro no Estádio do Dragão entre o FC PORTO e Gil Vicente.

Dragões de Ouro 2006/07


Todos os anos se realizam no reino do Dragão, a eleição de figuras que se tenham destacado com as suas prestações para a glorificação do FC PORTO.
Este ano podemos destacar as figuras femininas elegidas como Sara Oliveira (natação) como Atleta amadora do ano e Vânia Franco (bilhar) como atleta revelação do ano.
Quanto ao futebol os elegidos são Helton como atleta do ano, Bosingwa como futebolista e Jesualdo Ferreira como técnico do ano.
Mais uma vez os adeptos que jogo após jogo estão com a equipa a apoia-la, sobreviventes contra o frio, chuva e mesmo derrotas, não merecem qualquer menção honrosa, mostrando que para os quadros superiores do clube não significam nada. Nestas categorias para se merecer um Dragão de Ouro é necessário ser Doutor, mesmo que poucas vezes se tenha ido ao estádio apoiar.
Vamos continuar a esperar que isto mude, e que quando menos esperarmos recebermos o Dragão de Ouro para adeptos mais fieis, pois é isso que nós somos, Super Dragões com o Porto em todo o lado, até à morte.

Dragões de Ouro 2006/07

Atleta do Ano: Helton
Futebolista do Ano: Bosingwa
Atleta Alta Competição do Ano: Emanuel Garcia (Hóquei em Patins)
Atleta Amador do Ano: Sara Oliveira (Natação)
Atleta Jovem do Ano: André Pinto (Futebol Formação)
Atleta Revelação do Ano: Vânia Franco (Bilhar)
Técnico do Ano: Jesualdo Ferreira (Futebol)
Seccionista do Ano: António Oliveira (Hóquei em Patins)
Dirigente do Ano: Vítor Santos
Sócio do Ano: Dr. Matos Fernandes
Filial e Delegação do Ano Nacional: Casa do F.C. Porto de Argoncilhe
Filial e Delegação do Ano Internacional: F.C. Porto em Lausanne
Recordação do Ano: Fernando Vasconcelos
Funcionário do Ano: Vítor Santos (F.C. Porto – Futebol, SAD) e António Matos (F.C. Porto – Basquetebol, SAD)
Quadro Executivo do Ano: Henrique Pais (PortoComercial)
Dedicação do Ano: Paulo Cunha (Basquetebol)
Dragão de Honra: Dr. Alípio Dias

quinta-feira, Fevereiro 07, 2008

Bwin: FC PORTO 4 - 0 ULeiria

De regresso ao Dragão depois de um jogo menos conseguido por terras marroquinas, voltamos a casa para festejar a 50º vitória vivida no Estádio do Dragão.
O FC Porto recebeu e venceu a U.Leiria por 4-0 dominando por completo os 90m de jogo. Logo a começar vimos Farias a marcar, tendo o mesmo sido anulado, mostrando assim o que viria a suceder no resto do jogo, mas a valer.
Foi dos pés de Bosingwa que surgiu o primeiro golo tendo o resultado sido ampliado por Farias, que cabeceia um cruzamento milimétrico de Quaresma. O 3º golo, ainda na primeira parte, trouxe ao Dragão o tango argentino com trocas de bola entre Lucho e Lisandro e este ultimo a bisar.
Já na segunda parte o domínio continuou a ser azul e branco e mais uma vez em resposta a um cruzamento de Quaresma, Farias faz o 4-0, fechando assim o resultado.
Nada melhor que depois de uma derrota demonstrar que continuamos firmes na luta pelo TRI.
Os Super Dragões com o sector bem preenchido (podia estar bem melhor), apoiaram a equipa desde a entrada em campo, com a frase…..



Ao longo dos 90m apoiou-se como habitualmente, sem contudo, se ter notado momentos de pura magia, de apoio fantástico e forte. Foi constante, passando de cântico para cântico, não deixando de estar lado a lado com os pupilos que lutavam dentro das 4linhas.
As SuperQueens juntaram-se no seu local habitual para apoiar e festejar mais uma vitória do nosso Dragão, aproveitando também para acertar pormenores para a deslocação à Sertã.

Inscrições/ Renovações SUPERQUEENS

Um novo ano começou e por isso também retomamos as renovações e claro as inscrições de novas QUEENS.
Ser SUPERQUEEN é pertencer ao mundo dos SUPERDRAGOES com todas as vantagens que daí advém, desde bilhetes mais baratos para os jogos do FC Porto e ainda viagem assegurada nos jogos fora, e também entrada gratuita nas modalidades do clube.
Para além destas vantagens ainda há as que só se descobrem pertencendo a esta família, que se constrói e solidifica jogo após jogo.
Para seres sócia basta que entregues a proposta preenchida, uma fotocópia do Bilhete de Identidade e 15€ anuais (ano civil).
Para mais informações contacta-nos através do superqueens86@gmail.com.

domingo, Janeiro 20, 2008

Cachecol SUPERQUEENS

As SUPERQUEENS não são um mero grupo de incentivo ao FC Porto e núcleo dos SuperDragões, são mais que isso.
Não gostamos de ter uma atitude passiva, muito pelo contrário, e essa nossa vertente mais activa não nos deixou descansar enquanto um dos grandes objectivos do grupo não fosse alcançado, o nascer do cachecol.
Para as Queens significa muito este momento. É normal que em cada ciclo se tracem metas a alcançar e finalmente esta já está cumprida. Agora para estar completamente satisfeita é conseguir ver todas as Ultras dos Super Dragões satisfeitas e de cachecol ao peito.
O cachecol tem o padrão da bandeira que em todos os jogos do Porto temos o orgulho de agitar, tendo numa das partes o brasão ao centro ladeada pelo nosso nome Super Queens. No lado oposto, em cada canto o brasão, tendo ao centro o nosso lema já tao sobejamente conhecido , “FAIXA NÃO HÁ, MAS NÓS ESTAMOS CÁ!”.
O preço para sócias do núcleo é de 5€ e para não sócias/os 8€.
Se desejas adquiri-lo ou obter maior informação contacta-nos através do mail
superqueens86@gmail.com.

sábado, Janeiro 19, 2008

Taça de Portugal: FC PORTO 2 - 0 D.Aves


Depois de vencer o Chaves por 2-0, o sorteio ditou que o FC Porto receberia o D. Aves, no Estádio do Dragão, para mais uma eliminatória da Taça de Portugal.
O estádio não se engalanou para a festa da taça, que já não é o que era, pelo menos até chegar ao Jamor. Foi talvez a pior assistência que o Estádio Dragão tem na sua curta história.
O FCP dominou completamente o jogo chegando ao golo aos 30m por Ernesto Farias, que começa a afinar a pontaria e a ser mais uma aposta sempre pronta a ser utilizada pelo treinador.
Embora os azuis e brancos tenham dominado o jogo como se esperava, isso não se verificava nos golos…que não apareciam. Como os adeptos dos dragões são exigentes lá vieram as assobiadelas e foi Quaresma que mais incomodado se mostrou, marcando o 2-0 já nos 90m. A atitude dos adeptos “normais” não se entende porque esta continua a ser a melhor equipa do campeonato, cumpre e não merece apupos a todo o momento, mas sim apoio e incentivo. Os Super Dragões apoiaram mas Quaresma nos festejos só se lembrou dos assobios. É pena!
Tal como as bancadas no geral, o nosso sector não se encheu, mas também não estava muito despido.
O apoio foi o possível num jogo que se joga a meio gás, embora não se desperdice a vitória que nos dá acesso à próxima eliminatória que será frente ao Sertanense, fora.
As SuperQUEENS ocuparam o local de onde, jogo após jogo, apoiam o mágico Porto, apoiando, como ia sendo possível.

domingo, Janeiro 13, 2008

Bwin: FC PORTO 4 - 0 Sp.Braga


Depois da vitória frente à Naval e de uma semana inteira com a imprensa a criticar esta equipa que vence e é líder, e alguns jogadores em particular, para esquecerem o que se vai passando na 2ª circular, O FC PORTO recebe o Braga e mostra que afinal não à mesmo margem para dúvidas que esta é a melhor equipa da Bwin 2007/2008.
O FCP entrou decidido e logo nos primeiros minutos Lisandro marca, seguindo-se o 2-0 pela cabeça de Raul Meireles.
O Porto dominou um braga com uma boa equipa e muito equilibrado e na segunda parte conseguiu marcar mais 2 golos, novamente por Lisandro e a finalizar Farias marca o 1º golo pelo mágico Porto.
Os Super Dragões com um sector cheio conseguiram voltar aos velhos tempos em que o apoio é bom, constante e forte.
Os verdadeiros 90m de incentivo a uma equipa lutadora, aguerrida, de Dragões.
Como tem vindo a ser habitual os jogadores não ficam esquecidos, sendo entoado os seus nomes sempre que o mereçam e os cânticos sofrem mudanças para que não esmoreçam e o apoio seja sempre constante.

Este jogo também serviu para mais uma vez fazer renascer cânticos que de vez em quando se deixam esquecer, mas que mais cedo ou mais tarde voltam.
As Super QUEENS em bom número não faltaram a mais um jogo, uma vitória rumo ao Tri, e sempre a apoiar pois é para isso que lá estamos. O apoio tem que voltar a ser forte para que não deixe de fazer sentido a nossa presença em qualquer estádio que o mágico Porto jogue. Porque as SuperQueens nunca te vão deixar de apoiar.

sexta-feira, Janeiro 11, 2008

Bwin: FC PORTO 2 - 0 V.Setubal


Depois da perda de pontos na Amadora a vitória era imperiosa.
No Dragão quem manda é o Porto e Lisandro recebeu logo o Vitória de Setúbal com um golo aos 5m de jogo, mostrando assim que é um bom anfitrião.
Com o domínio absoluto do mágico este resultado tornava-se escasso e só aos 86m é que Quaresma tornou justa e clara a vitória portista.
Super Dragões e SuperQueens sempre em bom número no apoio ao FC PORTO mostrando que nem com um jogo menos bom a crença da conquista do Tri se devaneia.

terça-feira, Janeiro 08, 2008

Bwin: FC PORTO 1 - 0 Naval


Ano Novo... Mais vitórias!
Com o novo ano e o regresso ao Dragão, o FC Porto recebeu e venceu a Naval, no fecho da primeira volta da Bwin Liga.
Este ano o Porto apagou de vez o fantasma de 2007, com péssimo arranque pós natalício, e embora se tenha sentido um Porto a meio gás, a vitória desta vez não nos fugiu.
Lisandro Lopez, como nos tem habituado, tem demonstrado que é um verdadeiro jogador "à Porto" pois tem raça e nunca desiste por mais impossível que lhe pareça a jogada. Foi através desta insistência que nasceu o único golo do jogo, iniciado por Lisandro e finalizado pelos pés de Raúl Meireles.


Os SuperDragões tinham o sector bem preenchido mas o apoio também estava ainda a meio gás, notando-se que para muitos, ainda reinavam as férias. Embora a equipa dentro das 4 linhas não tenha sido brilhante compete-nos a nós sempre mais, tendo este jogo que servir como exemplo como não devemos ser. É preciso mais!


As SuperQueens continuam a apoiar e a marcar presença sempre que o Porto entre em campo.
Começamos desde já a preparar a viagem a Alvalade e contamos com todas para que este seja mais um jogo, uma viagem de muito convívio e de apoio à nossa equipa.

domingo, Dezembro 23, 2007

Bwin: Nacional 1 - 0 FC PORTO

Sobre este jogo não há muito a dizer. Parecia um jogo entre os solteiros e casados de uma empresa qualquer, tipicos nas alturas natalicias e festivas.
Um mau jogo em que se continua sem perceber o porquê de o FC Porto na Madeira, em concreto no Nacional, nunca jogar o que sabe.
Fica para a história da época como a primeira derrota do Líder da Bwin Liga.
Os Super Dragões deslocaram-se à Madeira para dar o apoio possível, estando sempre presente onde quer que o Porto vá.
As SuperQueens não conseguiram marcar presença, mas não deixaram de sofrer na primeira derrota.

Resta-nos desejar umas Boas Festas a todas as SuperQueens e demais ultras dos SuperDragões.

domingo, Dezembro 16, 2007

Bwin: FC PORTO 2 - 0 V.Guimarães

Depois da vitória conquistada na casa do rival, o Vitória de Guimarães surgiu como mais uma dura prova em que o FC PORTO demonstrou que está forte para derrubar todas as barreiras.
Num dos melhores jogos vividos no Estádio do Dragão na presente época o Porto venceu o Guimarães e convenceu.
Num jogo muito bem disputado em que na primeira parte não houve golos, Quaresma e Tarik falharam golos que meros leigos achariam que eles fizeram o impossível, que foi mesmo não marcar.
Na segunda parte os golos surgiram, dando a vitória à persistência, luta e coragem. Tarik primeiro e Lisandro depois, deram a vitória num jogo que o esforço colectivo teve que se superar para conseguir bater este Vitória regressado a Bwin liga e que nos deu o melhor jogo da época até ao momento.

Nas bancadas, por mais dificil que o jogo se torne é isto que se gosta, bom futebol, bons golos, e esforço colectivo. Queremos mais!
Os SuperDragões acompanharam os acordes deste jogo apoiando incansávelmente estes jogadores, tendo sido 90m a cantar todos os cânticos e mais alguns.
Num sector sempre bem preenchido continua a esperar-se também que haja uma superação e que realmente o apoio torne a ser o que foi em tempos aureos.
As SuperQueens marcaram presença com a alegria que as caracteriza no apoio ao mágico Porto.



segunda-feira, Dezembro 03, 2007

QUEENS ON TOUR: lampiões 0 - 1 FC PORTO

A deslocação à luz é sempre das mais esperadas por ser a maior e a que tem sempre motivações extra-jogo. Este ano, para além da organização do autocarro, as SuperQueens tinham como acréscimo de motivação a estreia mais aguardada por todas: os cachecóis. Este era já um objectivo de já algum tempo, tendo sido imaginado logo após a bandeira, sendo assim o objectivo finalmente concretizado.
Num autocarro maioritariamente feminino, a viagem foi feita calmamente entre música, cantorias, histórias e muita festa.


Na paragem habitual em Fátima foi o momento de mostrar o cachecol do nosso orgulho e pelo meio ainda houve tempo para um desaguisado com o segurança da zona.
Continuação da viagem rumo a Lisboa e manteve-se a boa disposição sempre com cantorias e “comboios” pelo autocarro fora.
O cortejo a caminho do estádio correu bem, embora tenha havido uma pequena desorganização por parte das forças policiais, o que levou a que tenha praticamente todo feito em passo de corrida e com pouco control.


No estádio a habitual espera para entrar no recinto e para nosso azar a experiência de um novo software da treta, bilhetes válidos, só à terceira ou quarta tentativa de leitura e que os codigos de barras davam a entrada.
O jogo começou com um Benfica melhor, mas o FCPORTO rapidamente demonstrou quem era o Campeão e começou somente a dar a “bola a cheirar” aos vermelhos. Com um Porto a dominar e a jogar o que sabe no campo do rival o inevitável e o que todos esperávamos aconteceu no final da 1ª parte, GOLO! Ricardo Quaresma assinou o único golo do jogo…e que golo.
Nas bancadas o sentimento que se viveu é impossível de se conseguir descrever em palavras. Sem dúvida que estes golos dão um gozo de ser festejados.


Na 2ª parte o FCP continuou a controlar o jogo embora não tenha conseguido demonstrar com golos a superioridade.
Os Super Dragões começaram a preparar a invasão com tempo, e com bilhetes na mão era óbvio que apoio não faltaria ao mágico Porto.
Os autocarros partiram do Dragão por volta das 13 hrs e a viagem decorreu dentro da normalidade.
As SuperQueens viajaram num bom número e cheias de vontade de apoiar e vencer.
O apoio no estádio foi dos melhores dos últimos anos quanto ao clássico referente. 90m de apoio que veio da bancada superior e inferior, vendo-se assim a grandeza e o número de adeptos azuis e brancos que se deslocaram até Marrocos para apoiar o FCP.
Os habituais cânticos entoados com toda a força, obviamente em êxtase a quando do golo, numa explosão de alegria. Até tempo houve para o mítico “PORTO” de uma bancada para a outra, tal não foi a nossa superioridade tanto dentro do campo como nas bancadas.


Não nos despedimos sem antes desejarmos um Bom Natal a todos os presentes no estádio. O nosso é certo que vai ser!!
No final o regresso a casa foi feito na esperada calma que só a vitória nos dá!

sexta-feira, Novembro 30, 2007

21 Anos (1986/2007)- Parabéns Super Dragões


terça-feira, Novembro 13, 2007

Queens On Tour: Estrela 2 - 2 FC PORTO

O FC PORTO deslocou-se a um campo tradicionalmente complicado e fez quase tudo sair vencedor da Reboleira...até aos 85m tudo correu bem.
Os Dragões entraram bem e cedo criaram perigo até que Lisandro pôs termo ao empate e colocou o Porto à frente no marcador, vantagem que foi ampliada logo no ínicio da segunda parte, saída dos pés de Raúl Meireles.


Dois golos sem resposta e nem assim, embora seja um resultado aparentemente seguro, se pode facilitar e baixar as armas. O FCP controlava o jogo até que aos 85m Helton erra e o Estrela faz o 2-1. Minutos depois Stepanov, infantilmente, faz um penalty e o Estrela não desperdiça e faz o empate fechando assim o resultado.
Mais 2 pontos perdidos, mas mais que pontos perdidos é um empate que sabe a derrota e que será díficil de esquecer, por infelicidades, ou não, de jogadores azuis e brancos.
Os Super Dragões deslocaram-se para sul em bom número tendo em conta a hora e o dia em que se realizou o jogo. Mais uma vez a televisão ditou horários, pondo para segundo plano aqueles que semana após semana lutam por seguir a sua equipa.
As SuperQueens contrariando estes factores deslocaram-se até à Amadora de carro, numa viagem sempre agradável e convictas que a vitória seria trazida para o Norte.
No que diz respeito ao apoio este foi sempre constante e com cânticos variados, mesmo com a perda de pontos estes Ultras não abandonam a equipa.

quinta-feira, Novembro 08, 2007

FOTO REPORT: Liga dos Campeões, FC Porto 2 - OM 1